16/11/2017 09:41 am

Profissionais de Logística ganham espaço em cenário de crise

Diante de um cenário de crise política e econômica no país, as empresas têm percebido que o investimento em um sistema de logístico estruturado e bem planejado é essencial para uma execução adequada das diversas atividades e processos existentes dentro de uma organização. Essa é a perspectiva apresentada pelo engenheiro de produção Yuri Laio. De acordo com Laio, a carreira está em alta e o exercício dos profissionais de logística é fundamental para a estruturação de uma empresa.

Uma boa gestão das subáreas de logística pode implicar em aumento de eficiência e redução de custos para as empresas, maximizando seu desempenho nos mercados e proporcionando-as vantagens competitivas em relação às demais”, discutiu o engenheiro, que é professor coordenador da graduação ofertada pelo Centro Universitário de João Pessoa – Unipê.

“O cenário econômico atual exige que a logística se integre às outras áreas do negócio, de modo a otimizar a alocação de recursos, os processos e o planejamento das operações”, afirmou. “De nada adianta ter uma equipe de marketing e um setor comercial eficaz se a empresa possui um sistema logístico falho, que leva à improdutividade, ao desperdício de materiais, a falhas de previsão de demanda, frustração de clientes e fornecedores, etc., tornando os produtos e/ou serviços inviáveis no mercado”, continuou.

Áreas de atuação

Segundo o professor, o mercado tem demandado profissionais de logística justamente pela falta de conhecimento difundido sobre a área, especialmente em cargos de alta gestão e planejamento, como Gerente de Logística, Gerente de Supply Chain, Gerente de Operações Logísticas, Gerente de Estoques, Analista de Compras e Materiais, Analista de Planejamento e Controle da Produção, Gerente de Transportes, Analista de Rotas, entre outros.

“Uma pesquisa realizada recentemente pela consultoria Robert Half entrevistou 230 profissionais da área e mostrou que aproximadamente 77% deles acreditam que o mercado de trabalho para formados em logística manterá o seu atual nível de crescimento ou avançará ainda mais no decorrer dos próximos anos”, apresentou Laio.

A pesquisa da Robert Half listou as variações de salários de algumas das principais carreiras que os profissionais de logística podem seguir entre 2016 e 2017, de funcionários que trabalham em empresas de pequeno, médio e grande porte por todo o Brasil.

Em 2016, o salário para um diretor de Supply Chain variava entre R$ 21 mil e R$ 37,5 mil. Já em 2017 houve um salto entre R$ 22,5 mil e R$ 37,5 mil. Para um gerente de logística, a média ia dos R$ 9 mil aos R$ 21 mil em 2017, enquanto que neste ano variava dos R$ 9,5 mil aos R$ 21 mil. Para um coordenador de transportes, a remuneração podia ficar entre R$ 5 mil e R$ 12 mil em 2016, ao passo que neste ano já varia entre R$ 5,1 mil e R$ 12 mil. Já os analistas de logística ganhavam, em média, entre R$ 4,5 mil e R$ 7 mil em 2016 e, neste ano, já ganham entre R$ 4,5 mil e R$ 8 mil.

Vestibular Unipê

O Centro Universitário de João Pessoa lançou sua campanha de Vestibular 2018 com foco na valorização à pluralidade. Opiniões, estilos, valores, etnias, religião e afetos são abordados nas peças, mostrando que cada pessoa é diversa, múltipla e única. Para mais informações e inscrições, acesse vestibular.unipe.br.

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM