19/04/2017 08:52 am

Projeto do Unipê atende mulheres vítimas de violência

Segundo pesquisas, a cada quatro minutos uma mulher dá entrada no SUS vítima de violência doméstica no Brasil. Pensando neste público, os cursos de Odontologia e Design de Moda do Unipê lançaram o projeto de extensão “Apolônias da Paraíba”. Inspirado em iniciativas de Organizações Não Governamentais espalhadas pelo país, o projeto proporcionará tratamento odontológico gratuito e terá início ainda neste mês.

De acordo com o coordenador do curso de Odontologia do Unipê e coordenador do projeto, prof. Marcos Vasconcelos, a versão paraibana do Apolônias será desenvolvida por estudantes de graduação em Odontologia e tem o objetivo de reabilitar o sorriso de mulheres vitimadas pela violência doméstica, resgatando a autoestima e favorecendo a reinserção no meio social e no mercado de trabalho.

“A princípio estão sendo selecionadas 12 mulheres assistidas pela rede assistencial do município de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa”, adiantou o professor. A parceria com o município foi firmada no início do mês. “Estas mulheres deverão estar sendo assistidas pelas políticas de amparo às vítimas de violência e deverão apresentar comprometimento odontológico significativo que requeira intervenção odontológica. Além disso, serão mulheres que estão em busca de resgate de cidadania, através da reinserção no mercado de trabalho”, acrescentou.

Além da recuperação oral, o empoderamento dessas mulheres será trabalhado por meio da intervenção do curso de Design de Moda do Unipê. “Estaremos em parceria com Odonto para prestar uma consultoria de imagem para as mulheres selecionadas para o projeto. Sabemos que as mulheres que passam pelo processo de fragilidade social, econômica e até emocional têm sua autoestima abalada, dificultando sua recuperação e reinserção no mercado de trabalho”, asseverou a professora Gabriela Maroja. “A consultoria ajuda a elevar essa autoestima”, complementou.

A professora ainda destacou que, com essa experiência, além de trabalhar temas como visagismo – análise da beleza facial considerando fatores como formas, cores e personalidade – o projeto ainda proporcionará uma oportunidade para que os alunos vejam sua profissão sob outra perspectiva. O professor Marcos ainda destacou que o projeto pretende mostrar “que é possível o resgate da cidadania dessas mulheres. Ao mesmo tempo, contribuímos para a formação de profissionais mais humanos e comprometidos”, finalizou.

Atendimentos

“Ainda em abril, as mulheres selecionadas frequentarão a Clínica Escola de Odontologia para obter tratamento gratuito e, paralelamente, terão consultoria da equipe de Design de Moda. Todos os atendimentos serão feitos por estudantes, sob supervisão de docentes”, adiantou o coordenador do projeto Apolônias da Paraíba, reforçando que, além do projeto, que será totalmente focado nesse público de mulheres, durante todo o ano a Clínica-Escola de Odontologia realiza atendimentos gratuitos no campus do Unipê.

Saiba mais sobre o projeto

Santa Apolônia era a filha de um aristocrata que viveu em Alexandria, no Egito, por volta do ano 249, e foi vítima da perseguição aos cristãos. Ela foi torturada e sentenciada à morte, tendo sido os seus dentes e ossos da face fraturados, gerando uma dor lancinante, mas que não abalou a sua fé. Desde então, seu exemplo foi tomado como ato de resistência aos maus tratos, e a mesma é hoje a padroeira da Odontologia e dos que sofrem com problemas bucais.

Segundo pesquisas recentes, a cada quatro minutos, uma mulher dá entrada no SUS, vítima de violência no Brasil. Dentre as sequelas deixadas por estes atos violentos, destacam-se as fraturas e perdas dentárias, as quais geram comprometimento da função estética e exclusão social. Fragilizadas, estas mulheres ficam desprovidas de autoestima e sua reinserção social, quando procuram os mecanismos de controle e defesa, é tão difícil quanto a decisão de se esquivar de tamanho maltrato.

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM